Tipografia 3D

02graphic-byrom-custom1

A tipografia é agora uma forma de arte. Alguns artistas e designers gráficos estão transformando fontes em pinturas e até mesmo esculturas. Andrew Byrom, um designer de tipos de origem britânica e professor da Universidade Estadual da Califórnia em Long Beach, é um conceitualista tipográfico – um escultor por qualquer outro nome – que cria fontes “experimentais” feitas de Band-Aids, canudinhos, grades de aço e luzes neon. Ele também  transformou suas fontes com a ajuda de objetos como móveis, utensílios de banheiro e pipas.

02graphic-byrom-tmagArticle

Byrom enxerga tipos em praticamente tudo, em toda parte. Por exemplo, uma cadeira simples de madeira que encontrou na rua é um “h”. “Em algum momento eu me perguntava com o que o resto do alfabeto seria parecido”, revela. E assim começou o desenho de uma família tipográfica de “tipos móveis”, que ele chamou de Interiores.

andrewbyrom1

O trabalho iniciou como um alfabeto bidimensional feito por formas no Adobe Illustrator e mais tarde no Fontographer. Mas as letras finais, que foram finalmente construídas em 3-D com aço tubular, apresentam-se como quadros de grande escala de móveis. “Como o conceito subjacente é tipográfico, o resultado final torna-se quase estilo livre no design de móveis”, explica Byrom. “Cartas como m, n, o, b e h podem ser vistos como simples tabelas e cadeiras, mas outras letras, como e, g, a, s, t, v, x e z, tornam-se – quando visto como mobiliário – mais abstratas”.

Byrom-WEB1

Byrom deixou a escola aos 16 anos e seguiu seus irmãos mais velhos, pai e dois avôs em estaleiros ingleses, onde ele serviu um estágio de quatro anos antes de sair para estudar design na Universidade de East London. Ele agora tem um estúdio em Los Angeles.

tumblr_locfd8yFZt1qdrlj3o1_500

Estudar o design convencional habilitou Byrom para explorar métodos não convencionais. “Eu trabalho em três dimensões, de modo a obrigar-me a encontrar novas formas”, explica. “Meu trabalho não é recriar tipos de fontes existentes em três dimensões. “Em vez disso, permito que as restrições de materiais e as limitações da criação de estruturas físicas com esses materiais revelem novas formas”. Para ajudar a guiar em direção a formas tipográficas novas, Byrom adere aos princípios tipográficos clássicos, como altura-x ou linha de base, mas não para a aparência ou estilo de tipos de fontes impressas. “Eu acredito que esta é uma distinção importante e é o que torna o trabalho em uma forma 3-D única”, diz ele.

Para saber mais, acesse: http://www.andrewbyrom.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s