Um lugar para vivenciar obras de arte

marfa_wide-1aa75069b02e21050afbfb790df4be6146deda78-s6-c30

Num cenário digno do cinema de faroeste, incrustado no deserto de Chihuahua, no oeste do estado do Texas, Donald Judd encontrou o lugar ideal para vivenciar obras de arte. Reconhecido como um dos mais importantes artistas minimalistas americanos, Judd (falecido em 1994, aos 65 anos) acreditava que o encontro com a obra de arte e a experiência diante dela eram fundamentais e específicos a depender de cada trabalho, sua localização e das condições climáticas e geográficas. Ele alegava que os modelos de museus que existiam não serviam para uma contemplação aprofundada da forma que os artistas almejavam, devido às exposições temporárias e ao modo de instalação das obras. Em 1971, ele se mudou de Nova York para o deserto texano, na região de Marfa, que fica a cerca de 800 km de Dallas ou Houston e 300 km de El Paso e construiu o principal destino para os aficionados em arte.

home_photoclick4

Nessa fatia isolada do mundo, a luz é espetacular, o céu enorme parece engolir a terra e o horizonte só se rompe quando o olho esbarra em trechos visíveis das serras que rodeiam a região. A paisagem árida e vazia remete à essência dos objetos e instalações ao ar livre de Judd, que assim como os trabalhos de outros minimalistas, extraem força da relação que estabelecem com o seu entorno. A saída permanente da cidade foi o início do que viria a se tornar um dos núcleos de arte mais encantadores do país e uma contraproposta aos modelos comuns de museus operantes. Arte e arquitetura contemporâneas lado a lado, em integração com o entorno e a natureza.

03_DT_Chinati

O espaço foi criado nos 173 hectares de uma antiga base militar, em um conjunto de terrenos baldios e depósitos de artilharia em ruínas, que reinventam a percepção do objeto em relação ao espaço inserido. A obra deixa de ser somente a construção do artista e sim o ambiente que revela aos visitantes.

Judd_at_Eicholteren_1990_1lr

Desde a morte de Judd duas fundações têm trabalhado para manter o seu legado: a Fundação Chinati e Judd Foundation. Todos os anos a Fundação Chinati realiza um evento Open House onde os artistas, colecionadores e entusiastas vêm de todo o mundo para visitar arte de Marfa. A Judd Foundation mantem a casa e os espaços de trabalho do artista na cidade, em um complexo que integra 15 propriedades, incluindo estúdios que expõem trabalhos de Judd e outros artistas, prédios residenciais, um rancho, escritórios e bibliotecas.

architetural studio

blog_marfa_11_grid_3

O Architecture Studio é um prédio no centro de Marfa que originalmente foi um banco, reformado por Judd para se transformar em um estúdio de arquitetura. O espaço tem em seu acervo pinturas e desenhos do início da carreira do artista, em dois andares e mais de 15 salas. Uma extensa coleção de mobiliário e pinturas de artistas do século XX também podem ser encontrados.

home_photoclick6

The Cobb House e Whyte Building é um complexo de duas construções que apresentam desenhos de Judd do final dos anos 1950 e início dos anos 1960 e uma coleção de mobiliário sueco do início do século XX. Um segundo escritório de arquitetura foi criado por Judd no início dos anos 1990, onde são encontrados móveis e objetos criados pelo artista, como projetos e modelos de seus trabalhos em arquitetura.

Donald Judd's Library

La Mansana de Chinati ou The Block era o local de residência e primeiro estúdio de Judd em Marfa. Local de exposição de seus primeiros grandes projetos de arquitetura e instalações. Foi o primeiro local adquirido por ele a chegar na cidade, com jardim e mobiliário criados por Judd, além de uma piscina também projetada pelo artista. Uma biblioteca com mais de 10 mil volumes também integra o espaço.

82

O Print Building orginalmente foi um hotel durante os anos 1930 e 1940. Foi comprado pelo artista com a intenção de criar um museu de gravuras, com o objetivo de instalar a coleção completa de suas gravuras, produzidas entre 1951 e 1994 nas trinta salas do último andar. Atualmente, o espaço integra os escritórios da fundação e atelier de conservação de obras.

big_362421_8939_DO110913011_UPD1

O Art Studio foi adquirido em 1990, onde antigamente funcionava um mercado e transformado em atelier. A área aberta contem grandes mesas de trabalho, onde são expostas protótipos e amostras dos trabalhos de Judd. O local apresenta o processo de trabalho do artista.

Para saber mais, acesse: http://www.juddfoundation.org

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s